NR10: COMO O TOUR VIRTUAL PODE AJUDAR NO CUMPRIMENTO DESSA NORMA? NR10: COMO O TOUR VIRTUAL PODE AJUDAR NO CUMPRIMENTO DESSA NORMA?

NR10: COMO O TOUR VIRTUAL PODE AJUDAR NO CUMPRIMENTO DESSA NORMA?

9 minutos para ler

A Norma Regulamentadora 10, mais conhecida como NR10, trata da “Segurança em Instalações e Serviços de Eletricidade”. Seu objetivo é garantir a segurança e saúde dos trabalhadores que atuam, direta ou indiretamente, em instalações elétricas e serviços que envolvem eletricidade.

Como todas as Normas Regulamentadoras, a NR10 é obrigatória e exigida a todo contratante pelo próprio Ministério do Trabalho. As fases nas quais ela se aplica são: geração, transmissão, distribuição e consumo em qualquer das etapas a seguir: projeto, construção, montagem, operação, manutenções elétricas e locais periféricos a redes elétricas.

A NR10, portanto, é um importante instrumento de segurança do trabalho. Como ela é obrigatória, a não aplicação dessa norma resulta em uma série de consequências para a empresa ou contratante, assim como para os trabalhadores. Confira logo a seguir quais são essas consequências!

Veja as possíveis consequências que sua empresa sofre ao não seguir a NR10

Quando se fala em riscos é comum pensar a princípio em valores financeiros. Porém, o não cumprimento da NR10 coloca muito mais do que isso em xeque. O desrespeito às diretrizes da norma envolve à segurança e à vida de todas as pessoas presentes em um canteiro de obras.

A norma é estruturada com base em possíveis acidentes ligados à rede elétrica. Por isso, as medidas impostas procuram evitar que ocorram quedas, queimaduras, choques elétricos e qualquer outra situação que prejudique à saúde ou ameace a vida dos trabalhadores e demais pessoas no local.

Portanto, dos 14 tópicos, a NR10 apresenta onze pontos principais do que deve ser feito, sem exceção, no interior e nas dependências de uma obra. Logo abaixo você pode conferir cada um desses pontos e perceber como a norma procura garantir que a segurança esteja presente em todos os cenários de uma edificação. Veja cada um deles a seguir:

  • segurança em projetos;
  • situação de emergência;
  • segurança em instalações elétricas;
  • proteção contra incêndio e explosão;
  • segurança em instalações elétricas energizadas;
  • trabalhos envolvendo alta tensão (At);
  • segurança na construção, montagem, operação e manutenção;
  • habilitação, qualificação, capacitação e autorização dos trabalhadores;
  • segurança em instalações elétricas desenergizadas;
  • sinalização de segurança;
  • procedimentos de trabalho.

No entanto, se alguma ocorrer alguma infração no momento da vistoria, a empresa arcará com multas, interdições e reparações às vítimas e às famílias envolvidas. O mesmo acontece em casos de acidentes.

Saiba que tanto contratante quanto contratado são responsáveis pela segurança no trabalho

Entretanto, a NR10 estabelece que as responsabilidades quanto ao emprego das diretrizes impostas pela norma são solidárias. Isto é, contratantes e contratados são igualmente responsáveis pela execução da norma, embora cada um tenha sua responsabilidade específica nesse quesito.

Os contratantes, de acordo com a norma, devem manter seus trabalhadores informados a respeito dos riscos a que estão expostos. Com base nisso, eles devem instruir os seus contratados acerca de “procedimentos e medidas de controle” em face dos riscos elétricos a que estão suscetíveis.

Uma dessas medidas de prevenção é a oferta de cursos de conscientização e treinamento de segurança. Esses treinamentos devem apresentar carga horária e currículo mínimos, estabelecidos pelo Anexo III da norma. Os treinamentos previstos são NR 10 Básico, NR 10 Complementar e outros relacionados à reciclagem e outros treinamentos de riscos sobre áreas específicas.

Já os trabalhadores têm como dever a responsabilidade de zelar pela própria segurança e saúde, assim como as de outras pessoas presentes no local de trabalho. Eles também estão obrigados a aderir e cumprir com as disposições legais e regulamentares e, por fim, em caso de suspeita de risco ou identificação de situações irregulares, o trabalhador se compromete em sinalizar imediatamente ao seu superior sobre a situação alarmante.

Dessa maneira, a NR10 estabelece certos protocolos de operação e proteção. Contudo, alguns recursos são valiosos na hora de cumprir com a norma, eles vão desde o uso de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual), como luvas, coletes e capacetes, os EPCs (Equipamentos de Proteção Coletiva), como telas de proteção, sinalizadores e faixas até, enfim, as tecnologias que facilitam a fiscalização e o monitoramento do trabalho e cumprimento das normas.

Ferramentas

Antes de passarmos para as ferramentas indispensáveis para a segurança sua e da sua equipe, você sabia que 181.6 mil trabalhadores foram afastados por motivos profissionais em 2015? E que, em 2016, dos 1.156 acidentes de trabalho, 26% ocorreram no ramo da construção civil? Isto é, mais de um quarto de todos os acidentes naquele ano.

Essas estatísticas recolhidas pelo Ministério do Trabalho demonstram que apesar da atualização constante das normas regulamentadoras, a segurança e a saúde dos trabalhadores ainda correm sérios riscos. Por isso, todo esforço é pouco quando o assunto é segurança!

Conheça agora os recursos disponíveis para auxiliar o seu negócio no cumprimento da NR10

Sobre esse tema nunca é demais insistir: use EPIs! Contudo, para além desses equipamentos, há outros que podem vir a calhar. Hoje, a tecnologia traz recursos impressionantes para o setor imobiliário e de construção civil como drones, os versáteis Walkie Talkie e até mesmo a realidade virtual.

Em algumas situações, esses recursos não alcançam seu verdadeiro potencial, como no caso dos drones, mas saber que eles estão disponíveis pode ser uma solução em uma situação inesperada.

Drones

Os drones, ou veículos aéreos não tripulados, são excelentes para realizar vistorias em grandes alturas, como torres de alta-tensão. Equipado com uma câmera de alto detalhamento, o drone elimina a necessidade de expor um trabalhador a riscos desnecessários.

Outra utilidade dessa aeronave é o monitoramento do canteiro de obras. Detectar comportamentos negligentes, falhas na sinalização ou qualquer situação indesejada fica muito mais rápido e prático por meio de imagens áreas. O gestor de obras, dessa maneira, não precisa transitar pelo canteiro. Isso faz com que o trânsito de pessoas ao longo do canteiro seja reduzido. Isso, a longo prazo é, também, um fator de redução de acidentes.

Rádios portáteis ou Walkie Talkie

Os rádios portáteis, comumente conhecidos como Walkie Talkie, representam outra excelente ferramenta durante uma edificação ou vistoria técnica. Eles estabelecem uma comunicação à distância por meio de ondas de rádio entre pontos diferentes.

É um instrumento muito útil para evitar o deslocamento desnecessário e acelerar a comunicação no interior de uma obra. Os rádios portáteis têm resultado positivo sobre a segurança quando evitam falhas na comunicação e atualizações constantes do que está ocorrendo em todo o ambiente de trabalho.

Realidade e tour virtuais

A realidade virtual se fez, rapidamente, um instrumento eficaz e valioso para a construção civil e o setor mobiliário. A possibilidade de interagir com imagens como se você estivesse de fato no ambiente fotografado tem grande potencial.

Seus impactos iniciais são claros: agilidade na realização da vistoria, otimização do tempo da equipe e facilidade de produção e compartilhamentos com a equipe técnica responsável e os clientes interessados. Com apenas uma câmera de 360º e um tripé portátil e ajustável, você é capaz de fotografar todo o entorno do local onde a câmera está centralizada.

Após centralizar a câmera, basta comandar pelo celular para que uma imagem interativa de 360 graus seja produzida. Assim, que você transferi-la para um dispositivo eletrônico, seja um desktop, tablet ou smartphone, é possível observar tudo que estava em volta da câmera.

É uma ferramenta versátil capaz de transformar a forma com que sua empresa realiza vistorias e acompanhamentos de obras. Assim, fica muito mais fácil garantir o cumprimento da NR10! Sobretudo, ao associar a ferramenta ao tour virtual.

O tour virtual é produzido por uma plataforma que gerencia, compartilha e organiza as fotos em 360º em um circuito virtual incrível. Para finalizar, conheça a seguir a Banib Conecta Construction, plataforma voltada para aprimorar a sua forma de realizar vistorias e monitorar a sua equipe!

Como a Banib Conecta garante um ambiente de trabalho mais seguro ao lado da NR10

A praticidade de manuseio do equipamento fotográfico permite que qualquer trabalhador o prepare para os registros necessários a um tour virtual. Como a câmera de 360º fica previamente conectada à Internet para que ela realize o upload das fotos, o gestor de obras o engenheiro civil responsável pode estar em qualquer lugar e ainda assim acompanhar a obra.

Apenas com um clique, a câmera tira as fotografias. Em seguida, basta inseri-las na plataforma Banib Conecta e seguir os 6 passos. Assim, você terá um tour virtual completo e pronto para ser compartilhado em relatórios, reuniões e planejamentos.

Essa possibilidade otimiza a administração na construção civil por meio do monitoramento à distância, o qual elimina a necessidade de visitar o canteiro de obras. Isso reduz o trânsito de pessoas e, como consequência, reduz as chances de que acidentes ocorram.

A Banib Conecta, portanto, não só otimiza o seu tempo e reduz os gastos, ela também fortalece as práticas preventivas e os mecanismos de segurança empregados por sua empresa durante uma edificação de obras. Assim, fica mais fácil e prático garantir que as diretrizes da NR10 sejam cumpridas inteiramente!

Durante a sua carreira, você presenciou alguma irregularidade em relação a NR10? Comente abaixo e compartilhe como a Banib poderia ter ajudado a evitar essa situação!

Posts relacionados